quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Louis


Fiz essa letra há um tempo junto com uma música, tá meio rimadinha mas a melodia pediu, fazer o que???
.
.
Louis
Era a piada principal para o jornal que circulava no colégio burguês.
Andava pelos fundos, cabisbaixo, escondido atrás da franja e um moletom xadrez.
Era sábio, tantas coisas ele tinha pra contar, lia quase tudo....
Assistia a velhos filmes, vários dias sem cansar, até os mais estranhos...
Era excluído das festinhas e fingia fazer planos pra viajar de vez.
Quase quatro horas da manhã e conversa com estranhos em árabe e em francês.
No outro dia de manhã já começam a zoar, tinha tantos sonhos...
Abraçado a projetos nada fácil de entender, bombas e estilhaços....thum, thum, thum....

Louis, Louis, Louisss

A tardezinha, botou os planos pra ferver.
Mente insana, vontade de fazer sofrer.
Montou esquema, igual à cena da tv.
Uma caixinha, explodiu na hora sem prever.

A professora ensangüentada sem entender
O velho Louis tropeçou no cabo da tv

No seu enterro só sua mãe veio lhe ver.
trouxe umas flores com um recado pra se ler:
A vingança é um espelho, a imagem às vezes é vocÊ

Louis, Louis, Louisss

5 comentários:

Malthus de Queiroz disse...

Gostei do texto. Mas por que tão trágico? Ele poderia encontrar um grupo de pessoas que têm o mesmo problema, formar uma banda de rock, se drogar pra caralho, conhecer uma garota (ou um cara) muito doida(o), mas muito legal, apaixonar-se perdidamente, tornar-se um artista incompreendido, constituir família, viver feliz por muitos anos e ter seus quadros (ou músicas) vendidos por milhões de dólares depois de sua morte. Seus descendentes e amigos lembrariam dele com afeto e saudade. huahuahua abraço, brother

(meu mundo) disse...

Lembra Capital Inicial, eles tem algumas letras parecidas. Gostei, ta colocando as asas de fora, deixando a mente rolar. Ah! eu quero uma festinha de findi, cara! vamos beber. Bjão.

theo costa disse...

Capitall....legal...se fosse Devotos, ai eu ficaria triste...só pela letra...hehehehh

Malthus, Louis curtia Ivete Sangalo, por isso que não dava pra fazer um desfecho tão brilhante, kill, kill, kill.

Theo Costa disse...

Eu tinha omitido uma parte do texto, consegui lembrar do resto agora...

Anônimo disse...

Sou suspeito pra falar, mas gostei muito, transmite de forma objetiva o que se passa na cabeça de um franco atirador ou de um homem bomba.Chico falou e ninguem ouviu ou não entendeu...Milton tb..Cazuza tb..então meu velho fale a linguagem que a gente entende, quem sabe nos ajuda a mudar.
Fábio Gatt