sábado, 5 de julho de 2008

Movimento pós-bandas

Letristas da geração alcool and roll: ocultos, silenciados, não reconhecidos, mas jamais serão esquecidos por quem nunca deixou de lembrar do próprio ato amnético. (what a shit!)

Os poemas abaixo foram adaptados às músicas, qualquer incoerência é por conta disso...


DISTANTE
(Fábio Cordeiro - Lustiank)

Assim tão longe
Tudo se confunde
Entre o exato e o incerto,
Já não consigo ver
Do que está guardado em mim
Porque tão longeTudo se perde
Como um grito que já não ecoa mais
Já não consigo ver
Do que está guardado em mim
Já que vocêNão me entende
Deixa que euPossa me entender
Já que vocêNão se sente
Parte do que sou
Então me deixe em paz
Não diga nadaGuarda em teu silêncio
Todas as palavras
Que você não quis dizer
Pra você nada terminou
Pra mim tudo acaba em você


SALA DOS MISTÉRIOS
(Malthus Queiroz - Van Grogh)
Existe um mundo que gira que para
Existe um mundo que pira que escancara
De taras de Amor
Sem máculas sem dor

Existe um Deus disfarçado de mutante
Existe os teus, teus olhos tão distantes
Com olhar de culpaaaa
Num Espelho tão brilhante....

O Pensamento é a grande sala dos mistérios, a cada dia conheço uma nova porta....

ÊÊ Dois Sentidos para o mesmo termo
Existe a dúvida
Palavras mudas de um enfermo
Existe o amanhecer
Depois do outro acontecer ÊÊÊÊ

O Pensamento é a grande sala dos mistérios, a cada dia conheço uma nova porta....

Vários personagens em monólogos insólitos
Vãs pessoas vis
Universos tão espólitos
Uma família uma nação
Asas do Afeganistãoooo

O Pensamento é a grande sala dos mistérios, a cada dia conheço uma nova porta....



MONDO ZOMBI
(Theo Costa - Lustiank)
FLORESTA DE ASFALTO
ANIMAIS EM LINHA RETA
URUBUS FANTASIADOS
A CAMINHO DO TRABALHO

UM TIRO NA LENTE
CINCO CONTINENTES
MIOPIA DA MENTE
EL MONDO ZOMBI

CORTINA DE FUMAÇA
VENDO FLORES NA ESQUINA
DETEFON, NOVALGINA, COCA-COLA, COCAINA

DISFARCE DE GENTE
PLATEIA CONTENTE
FUTURO AUSENTE
EL MONDO ZOMBI


No dia em que o homem flutuou na terra
(Cláudio Maceió - Lustiank)

Distante de tudo
O silêncio é fatal
Vejo o mundo irregular

Pessoas não existem
No meio da estrada
Cruzes ,vidas, cinzas, ressecas!

E O mundo suspenso
Em uma bolha de ar
A curva do horizonte
pro infinito!


No dia em que o homem flutuou na terra
Ele se viu só
Numa bolha azul
Procurando por si
Nas encostas do fim
Sabia o meio
O começo e o fim.....

6 comentários:

Malthus disse...

IT`S NOT ONLY ROCK AND ROLL, MAN. IT`S A GOOD NUMB DREAM dáaaaa uhuuuuuu

Catarina de Queiroz disse...

Bons tempos...

theo disse...

aeee...presença ilustre do casal das letras rolantes...yehhh

Thatá disse...

Ops! Lembrei de várias. Bjão Théo. Nossa, muito bom......

David disse...

Very Cool Man!!!!

Mário G. Filho disse...

RRRRRRRRRRRROCK!!!