segunda-feira, 3 de novembro de 2008

rugas, ruinas e sonhos

Pra trás a infância idosa
Quebrando a barreira do som
Que os vizinhos não ouçam

Surtei, pirei, quebrei a taça
Lasquei o quengo na porta
Vesti-me da coragem medrosa
e sai despido de noiva,
correndo da porta da igreja,
arrastando um skate velho
e deixando a poeira baixar

Guardo no peito a saudade boa
A bagagem cheia de doces
Levo lenços, alguns documentos e meia garrafa de martini

Não tô longe não
mas tão perto do início
A chegada e a largada moram na mesma rua
Vez por outra trocam idéias

Ontem a placa dizia "aluga-se"
Hoje diz "wellcome"

4 comentários:

Thatá disse...

Adotando novos estilos, hem? Gostei muito.......Bjus.....

Malthus disse...

Podicrer, velho. Muito bom o texto.

theo disse...

Valeu companheiross!!!!

Catarina de Queiroz disse...

Bom texto. É sempre bom mudar. Bjs