sábado, 19 de setembro de 2009

Menina Rica

Circulava na noite com desenvoltura
Usando perfumes caros e adocicados
Vinho seco e comentários sarcásticos
Só pra não deixar barato
Fazia programas com os amigos do pai
Queria fama, algo mais...
Seus sonhos de menina rica azedam noite adentro
O máximo que conseguira foi estampar paredes de oficina
Gostava de sair sozinha, seminua pela rua velha
Trocando tapas com travestis
Fetiche ou trauma do avô que lhe bolinava?
Eu tava lá, as quinze pras seis
Fechando a porta do último bar
E ela cortava o cabelo com gilete cega
Brincava de pular entre abismos
Escovando os dentes com absinto
Divertia playboys do recinto
Cantava alto e desafinado só pra provocar beatas
Nem as paredes do céu suportavam
sangrava chuva fina na face de menina
Qualquer dia você cai em si, em dó, de ré ou em mim.

6 comentários:

. disse...

André.
Perfect!

Malthus disse...

Me lembrou o som do Cazuza: "Menina mimada, você é um fracasso!!!" Muito bom o texto. abraço

theo disse...

pow...gostei da lembrança..valeu...

theo disse...

Andreass.....thanksss a lot!

Thatá disse...

Pow! Theo, adorei o texto.

theo disse...

valeu gata..volte sempre...