segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

A estranha Lógica

Quando estou assim, meio down, ouço músicas tristes (morrissey talvez) para criar todo um clima de auto-compaixão e acabo com pena mim mesmo. Olho para mim do alto e tento passar a mão sobre meus poucos cabelos, faço amizade comigo e acabo me sentindo melhor, isso é loucura, caridade, lazer ou uma forma de chamar minha atenção?

Segue uma letra traduzida do Moz, talvez não esteja condizente com a introdução mas curto seus conflitos pessoais, sempre tem algo que me remete...


Break Up The Family / Morrissey


Break Up The Family LyricsThe strange logic of your clumsiest linestayed emblazoned on my mindbreak up the familyand lets begin to live our livesI went to see all my friends tonightit wasn't Youth, it wasn't even Lifeborn Old, sadly wiseresigned (well, we were)to ending our livesI'm so glad to grow olderto move away from those awful timesI want to see all my friends tonightYes you found love but you weren'tat peace with your lifehome late, full of Hatedespise the ties that bindoh I'm so glad to grow olderto move away from those younger yearsnow I'm in love for the first timeand I don't feel badLet me see all my old friendslet me put my arm around thembecause I really do love themnow, does that sound mad?Captain of games, solid framedI stood on the touchlinehailstones, driven homein his car - no breaks? I don't mindI'm just so glad to grow olderto move away from those darker yearsI'm in love for the first timeand I don't feel badso wish me luck my friendsgoodbye

A estranha lógica na sua frase desajeitada(Ficou,Ficou) Ficou dentro da minha menteVocê diz,livre-se da famíliaE vamos começar a viver nossas vidasEu quero ver todos meus amigos hoje à noiteAquilo não era juventudade,não era vidaNascemos velhos,tristemente sábiosConformados (Bem,nós eramos)Para terminar nossas vidasEstou tão feliz de ter crescidoDeixar para trás aqueles tempos horríveisSim,eu quero ver todos os meus amigos hoje à noiteSim,você encontrou o amor,mas não estava em paz com sua vidaAtrasado em casa,cheio de ódio Despido das gravatas que o atavam Estou tão feliz de ter crescidoDeixar para trás aqueles anos em que era jovemEstou amando pela primeira vezE não me sinto malMe deixe ver meus velhos amigos hoje à noiteMe deixe abraçá-losPor que eu realmente os amoAgora isso parece loucura?Capitão dos jogos,duramente encriminadoEu fiquei na linha lateralGranizo,dirigi até em casa em um carroSem Freios? Eu não ligoEstou tão feliz de ter crescidoDeixar para trás aqueles tempos obscurosOh,eu me sinto apaixonado pela primeira vezEntão me desejem sorte meus amigosAdeusMe desejem sorte meus amigosAdeusmmm...me desejem sorte meus amigosAdeus

4 comentários:

Malthus de Queiroz disse...

Quando estou assim, meio pra baixo, gosto de ouvir músicas bucólicas, como as que o Napalm Death faz. Também curto a poética do Obituary. E sempre me lembro da frase que diz: "Se a vida te virou as costas, passe a mão na bunda dela".

theo disse...

O problema é se sua vida for ativa, vai sair briga...ahahah

(meu mundo) disse...

Gente, quer isso! Se a vida te virou as costas, vira as costas pra ela também. E como o mundo gira, lá na frente vc se encontram e acertam os ponteiros. Gostei muito do texto. Reserve-se ao direito de ser infinitamente feliz, há sempre algo naquela hora que podemos fazer. Bjão.

Heber disse...

Meu irmão, se você quer falar em auto-piedade, realmente Morrissey é a opção certa pra ser trilha sonora. Abraço!